O pai dos argutos

Escrever um texto literário, técnico, ou mesmo uma carta, depende, além da ideia, da capacidade de transportar a ideia para o papel. Sendo bastante simplório, além de organizar a ideia em uma forma que o outro entenda, essa ideia tem de ser decomposta no papel para depois ser recomposta na mente de quem lê, o que só é possível quando se detém as peças adequadas, quais sejam, as palavras mais acertadas para cada significado. Se alguém quer transmitir uma ideia, o primeiro passo é possuir as palavras adequadas para tal. Se quem vai ler não dispõe do mesmo aparato vernacular, há um meio para que a comunicação se concretize – a consulta ao dicionário.

Quem tem o hábito de ler sabe muito bem que é indispensável a presença de um belo dicionário sobre a escrivaninha ou o criado mudo ou na tela do celular, tablete ou computador. Muito já se escreveu sobre a busca de palavras dicionarizadas – não faço nada novo, quero apenas registrar minhas aventuras lexicográficas (pronto, já sugiro uma: lexicografia). Separei-as por características:

A mais bonita: plêiade – constelação, reunião de pessoas ilustres ou célebres.

A mais sonora: amarfanhada – amarrotada, apertada.

A primeira que aprendi no dicionário e usei em texto com sucesso: lupanar – prostíbulo.

A que mais tive que voltar ao dicionário: aleivosia – o mesmo que perfídia, traição.

A mais esquisita: bustrofédon – sistema de escrita da Grécia antiga.

A pequena que significa muito: ror – grande quantidade; ajuntamento de pessoas, multidão.

A que precisou de consulta também dos sinônimos: beleguim – esbirro, malfarro, malsim.

A que dá sensação de sono: tálamo – leito conjugal.

A que parece substantivo, mas não é: debalde – inutilmente, em vão.

A mais contraditória: inefável – que não se pode exprimir por palavras, indizível.

A que lembra a infância: garatuja – rabisco, desenho mal feito.

A que lembra programa de computador: adobe – pedra ou tipo de tijolo.

A que mete medo: admoestar – repreender, censurar, advertir

A mais tribal: adogã – homem que toma conta de árvores sagradas em terreiros

Palavra sem sinônimo, somente definição: dicionário.

A lista é grande! Dicionário não é um livro para ser lido, mas sim para nos divertir. Experimente abri-lo a esmo e ler alguns verbetes. É uma atividade enriquecedora. Quem sabe você não se torna um exegeta a deslindar nossa língua? Tenho certeza de que você será cada vez mais arguto (a).